Segundo os Centros de Controle de Doenças, durante 2000-2004 "Estima-se que 443.000 pessoas nos Estados Unidos morreram prematuramente em cada ano, devido ao tabagismo ou exposição ao fumo passivo. Durante 2001-2004, os gastos médios anuais em todo país relacionados à saúde dos fumantes foram de aproximadamente U$96 bilhões. Quando combinado com as perdas de produção de U$97 bilhões, o ônus econômico total do tabagismo é de aproximadamente U$ 193 bilhões por ano."

O fumo do tabaco tóxico contém diversos produtos químicos, incluindo o monóxido de carbono e o alcatrão, que é uma substância adesiva que se acumula nos pulmões causando câncer de pulmão e desconforto respiratório. O tabaco é a principal causa de morte evitável no mundo e é responsável por mais de 5 milhões de mortes a cada ano.

O cigarro eletrónico é um avanço da ciência que dá a aparência, sensação e gosto de um cigarro de tabaco à medida que o usuário replica os movimentos mecânicos. Ele expele um vapor de água, quase que inodoro, que parece fumo, mas não é. Os cigarros electrónicos funcionam  por uma bateria e tem um cartucho que normalmente contém nicotina em vários níveis (ou nenhum), propilenoglicol e aroma de tabaco ou de outros sabores.

De acordo o estudo realizado pelo Dr. Oswald Hope Robertson, o propilenoglicol  - principal ingrediente no e-líquido do cigarro electrónico -pode ser um poderoso antídoto contra a pneumonia, gripe e outras doenças respiratórias quando vaporizado e inalado. Décadas antes de o cigarro a vapor ser inventado, um estudo sobre a inalação de propilenoglicol vaporizado em ratos de laboratório foi conduzido pelo Dr. Robertson, da Universidade do Hospital Billings de Chicago, em 1942. "Dr. Robertson colocou grupos de ratos em uma câmara de ar e pulverizou-os primeiramente com propilenoglicol, e em seguida, com o vírus da gripe. Todos os ratos viveram. Então ele pulverizou a câmara só com o vírus. Todos os ratos morreram."

O artigo mais detalhado sobre o estudo foi  publicado na revista Time: http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,932876,00.html.

Os pesquisadores também descobriram que "o propilenoglicol por si só, já era um germicida potente. Uma parte de glicol em 2 milhões de partes de ar iria - dentro de alguns segundos - matar concentrações de pneumococos, estreptococos e outras milhões de bactérias que estão no ar”.

Estudos clínicos sobre os cigarros electrónicos com propilenoglicol foram realizados na Nova Zelândia pelo Dr. Murray Laugeson da Health New Zealand e podem ser encontrado no site da SS Choice LLC em: http://www.eCigarettesChoice.com na guia "Media Coverage".

Longe de representar uma ameaça para a nossa saúde, o propilenoglicol presente em e-cigarros parece que nos mantém saudáveis. Mais estudos devem ser feitos a respeito dos efeitos do propilenoglicol para determinar se ele pode ser usado como uma ferramenta de sucesso na prevenção de vírus.